Design e Interação: Afinal, o que é HMI? E HPHMI?

January 11, 2017

 

 

As primeiras máquinas da história, como alavancas e polias, foram criadas para auxiliar o ser humano a realizar tarefas. Com o passar dos séculos, a energia utilizada por elas passou a vir de outras fontes que não o ser humano e puderam funcionar de forma automática.

 

No entanto, automático não quer dizer autônomo. Muitas ainda necessitam de comandos de um usuário pra que realizem seu trabalho. Pode ser porque o modo como um usuário interpreta e soluciona problemas ainda é superior às inteligências artificiais, porque a máquina é programável para diferentes funções ou simplesmente porque o controle sobre ela é o objetivo, como em jogos. 

 


Human-Machine Interface (HMI) ou, no português, Interface Homem-Máquina (IHM), é utilizado na indústria e se trata justamente do meio que vai proporcionar essas interações, seja ele um grupo de botões, interruptores, alavancas, ou mesmo uma touch screen. A sigla também é usada para Interação Homem-Máquina, ou Interação homem-computador (IHC), que é justamente o estudo que tem como objetivo melhorar essa relação, tendo em vista as mudanças sociológicas, psicológicas e culturais, em boa parte causadas pela presença das máquinas. Através da união das áreas mais diversas, como computação, design e ergonomia, permitiu-se que o homem naturalizasse completamente as máquinas. O que antes o intimidava, agora é domável e fácil de compreender.

 

Mas nem sempre foi assim. Era costume se pensar que estas interfaces deveriam ser projetadas com o objetivo de tornar esses processos possíveis de serem realizados por uma pessoa comum. Os sistemas SCADA são um bom exemplo disso. Quando usinas e fábricas possuíam seus painéis de controle analógicos, exigia-se uma grande atenção do operador em meio a tantas informações, muitas vezes de difícil interpretação. Com a migração para o meio digital, adaptou-se os painéis aos recursos gráficos dos computadores e convenções da época.

 

 

Perceba a falta de legibilidade desta versão antiga de SCADA. Ausência de contraste do texto com o fundo, valores com tamanho de fonte reduzido, poluição visual causado por representação de volume desnecessária são só alguns pontos que atrapalham a visibilidade da tela e podem comprometer a segurança da usina em questão

 

 

Apenas com a popularização dos computadores pessoais e a difusão da internet pelo mundo passou-se a ter uma preocupação muito maior com a usabilidade dos sistemas.

 

Através das pesquisas de IHM ao longo de anos começamos a compreender quais cores, formas, layouts e outras representações seriam as mais adequadas às capacidades humanas de compreensão e percepção. Assim, os sistemas que utilizamos no nosso dia-a-dia vem se tornando cada vez mais confortáveis, e o usuário atual exige esse conforto. Por isso a indústria também precisa se adaptar a esse operador.

 

Surge então High Performance Human-Machine Interface (HPHMI), a HMI pensada baseada num processo de interação com a máquina do início ao fim. Do evento, até a a realização da ação relacionada a ele, existem etapas totalmente inerentes ao usuário, em que ele percebe um anomalia, entende do que se trata e passa a enxergar as consequências para então tomar uma decisão sobre o que ser feito.

 

Cores utilizadas de forma a destacar o que é importante sem cansar a visão, gráficos adequados a cada tipo de dado são algumas das mudanças que facilitam essas etapas. Através de associações dos elementos, seja com o mundo real ou com o próprio sistema, o operador pode decorar e aprender melhor o software. Diminui-se assim a probabilidade de erros, aumentando a eficiência e segurança, seja uma emergência ou não.

 

Na tela SCADA acima, nota-se uma estética minimalista, que representa o sistema com consistência utilizando poucos elementos (Para saber mais sobre design de interface de SCADA, baixe aqui o e-book gratuito)

 

Atualmente, a maioria das máquinas já possui interfaces digitais e já não necessitam conhecimentos em programação para serem operadas, sendo completamente intuitivas e cognitivas. De painéis de pilotagem de avião a tela de tablets na mão de crianças, as HMI, ao permitirem a relação que hoje temos com as máquinas, foram capazes de mudar a forma como vivemos nossa vida e como vemos o mundo. Saiba mais sobre os estudos que tornaram isso possível, na segundo post da série.

 

Se quiser se aprofundar no assunto, baixe o nosso eBook gratuito: Design de Interface Aplicado aos Sistemas SCADA.

  

 

 

 

Please reload

Em Destaque

Estudo de Caso SCADA COG COS

March 13, 2018

1/4
Please reload

Publicações Recentes

March 13, 2018